Português

Versão curta

 

Octávio Deluchi já recebeu mais de 15 prêmios a nível nacional e international, no Brasil e Estados Unidos. Além de performer e violonista, também atua como arranjador, compositor, produtor e professor. Integrou recentemente o programa de pós-graduação da Stony Brook University (NY), como doutorando, sob orientação de João Luiz. Deluchi foi aluno e recebeu orientações de Guilherme Vincens, Robert Trent, Fabio Zanon e Paulo Martelli. Embaixador Augustine, usa cordas Augustine Regal Blue.

 

Tendo estreado obras de Vicente Paschoal, João Luiz Rezende, Luis Carlos Barbieri, Cleisson José, Terrance Shepherd, Megan Deslinger, Mary Simmons, entre outros, possui estreias programadas com obras de Levy Oliveira, Juliano Camara, Diego Salvetti e Jean Lopes. Possui arranjos e composições publicadas pela Guitar Chamber Music Press e colabora com o Acervo Digital do Violão Brasileiro. É frequentemente convidado para festivais e concursos de violão ao redor do Brasil.

 

É coordenador da BCGC, membro fundador da AssoVio Vertentes e co-produtor do podcast Música sem Nome. Octávio coordenou a série de concertos Domingo na Lira e escreveu como colunista do site Prados Online. Desde 2018 é artista convidado e professor do Festival de Música Prados. Possui graduação pela UFSJ (MG), mestrado pela Radford University (VA), e membro da Pi Kappa Lambda sociedade musical.

Completo

 

Como intérprete e performer, foi premiado em diversos eventos, concursos e ocasiões (ver seção "Prêmios"), com destaque para o IBLA Grand Prize e XXXI Concurso de Violão Souza Lima. Trabalhou e estreou diversas obras de diferentes compositores (ver seção "Estreias"), como Vicente Paschoal, Luís Carlos Barbieri, João Luiz, Terrance Shepherd, Megan Deslinger, Mary Simmons, Cleisson José, entre outros. Já se apresentou em diferentes séries de concertos, e colaborou com diferentes projetos, como Americas Society/Council of Americas (NY); Odeon Guitar Series; Guitar by Masters (EUA); VMEA (EUA); Violão para Todos; Sounds Around the World; Festival Internacional de Música Musik Expedition; Inverno Cultural de São João del Rei; Manhas Musicais (MG); IFCE Ciclo Violonístico; Recitais Nacionais Acordes (ES); Segunda Musical (ES); BNDES Quartas Instrumentais (RJ); Triade / Vioesp (SP); SAD (MG); Sons de Silício (USP / SP); FIMUCA; Music Talking series; entre outros.

 

Alguns interesses de Octávio incluem a área de produção cultural, voltada ao violão e seu panorama musical. Relacionado ao tema, é membro fundador da associação de violões AssoVio Vertentes e do grupo BCGC. Com a associação de violões AssoVio Vertentes, promoveu concursos, festivais, concertos e eventos. Durante a temporada de 2018, no Circuito de Violão das Vertentes, foram promovidos 20 concertos em 30 dias, além de um concurso nacional, masterclasses e workshops. Atualmente, a direção do grupo conta com Adailson Araújo, Jean Gomes, Jefrey Andrade, Marcelo Azevedo, Octávio Deluchi e Rodolfo Mantovani. O grupo BCGC - Brazilian Classical Guitar Community, é uma plataforma para publicação e estreia de projetos colaborativos online em tempos de distanciamento social, criado em parceria com Camilla Silva, Gabriele Leite e Nicolas Porto Silva. Por fim, o podcast Música Sem Nome é feito em parceria com a musicista e violonista Heloisa Carbonera (BR). Em diferentes ocasiões em que esteve como produtor ou como convidado, trabalhou com nomes como Duo Siqueira-Lima, João Luiz, Vicente Paschoal, Gilson Antunes, Flávia Toni, Dua Reis-Barbeitas, Michel Maciel, Moacyr Teixeira Neto, Fabio Brucoli , Mauro Brucoli, Gustavo Fontes, Luis Carlos Barbieri, Fábio Chamma, Rosana Diniz, Duo a Zero, Claudia Garcia, entre outros.

Em Prados (BR), Octávio foi coordenador e fundador da série musical Domingo na Lira, esta que promovia de forma gratuita, uma série musical de alta qualidade para a comunidade local. Com concertos contemplando de saxofone contemporâneo a flauta solo, teve como destaques participações e/ou atrações como Tadeu Coelho (UNCSA), Antônio Carlos Guimarães (UFSJ), Guilherme Vincens (UFSJ) e Duo Aduar. Como diretor musical de "Five O'Clock Chaos", espetáculo promovido pela GTRANS / UFSJ, fez turnê e se apresentou em São Paulo, Belo Horizonte e região. O projeto resultou ainda em apresentações de pesquisas acadêmicas supervisionadas pelo Dr. Flavio Schiavoni. Octávio teve projetos aprovados em diferentes editais no Brasil, como SESI-FIEMG e BNDES a níveis estadual e nacional, respectivamente, e escreveu para o site Prados Online como colunista de 2019 a 2020.

 

É formado em Licenciatura com Habilitação em Violão pela UFSJ - Universidade Federal de São João del Rei (Brasil), na classe de Dr. Guilherme Vincens (2011-2019). Durante sua graduação, Deluchi realizou mais de 100 concertos, entre recitais solo, concertos de música de câmara, nomeações universitárias, participações e projetos externos. Em diferentes festivais e eventos, Octávio teve aulas com Julian Gray, Ian Guest, David Leisner, Michael Newman, Guilherme Kastrup, Sergio Assad, Odair Assad, Alieksey Vianna, Thomas Patterson, Everton Gloeden, José Lucena Vaz, Dieter Hennings, Daniel Wolff, Flavio Barbeitas, Gilson Antunes, Thiago Colombo, Maria Livia São Marcos, entre outros.

 

Em sua trajetória pedagógica foi orientado por Vladmir Cerqueira, atuando em diferentes cidades mineiras entre 2016 e 2018. Sob orientação do professor, foi instrutor de violão no projeto Música Viva por cinco semestres. Na Lira Ceciliana, responsável pelas atividades de violão, coordenou um projeto pedagógico denominado Violão na Lira, com dois conjuntos de violões para iniciantes, atingindo cerca de trinta alunos em aulas coletivas e particulares. Como professor particular, frequentemente prepara seus alunos para concertos e audições, como concursos ou processos seletivos.